leram-me

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O cobrador de afetos

O cobrador de afetos é um ser peculiar. Ele próprio não espalha afetos mas sente-se no direito de os cobrar aos outros.
O cobrador de afetos centra-se em si. É egoísta, julga-se o umbigo do mundo e, por esse motivo, todos, sem exceção lhe devem "serventia afetuosa".
O cobrador de afetos tem os maiores e os mais preocupantes problemas.
O cobrador de afetos não tem qualquer controlo da sua vida. Por isso tenta controlar a dos outros, sempre que lhe é possível!
O cobrador de afetos gosta de piedade...e que a nutram por si. Escolhe, por isso, viver todos os seus pseudo-problemas sem nunca os solucionar, pois aí perderá a atenção que gosta de ter.
O cobrador de afetos gosta unicamente de si, preocupa-se unicamente consigo e cobra por considerar que todos lhe devem "vassalagem emocional ", devido à vida difícil que vive!
O cobrador de afetos nunca olha em volta, nem vê nada de positivo na sua própria existência. Tudo porque é parasita do afeto alheio.
O cobrador de afetos só tem um único tema de conversa: ele próprio!

Felizmente conheço alguns Semeadores de Afetos...e, esses sim, fazem valer a pena!

Dia #8: Preocupações!

Aula ao 1º ano, após um atraso de 2/3 minutos...

"Sabes professora...eu estava preocupado contigo."
"Porquê, A.?"
"Porque te atrasaste um bocadinho e eu pensei que tu estavas a vir de carro e descapotaste!"

Impossível não amar a minha profissão!

Hoje é dia...

...de calçar as galochas e pintar com alguma cor este dia que começou tão cinzento! Vamos lá! 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Castelos no ar

Sinto-me constantemente a construir castelos de cartas. Com todo o cuidado, almejando o final com sucesso. Mas as cartas são frágeis e lá se desmoronam...basta um passo em falso, um ventinho, uma passada mais pesada e ... PUM! Lá tenho eu de começar tudo de novo, acreditando novamente, colocando carta em cima de carta, encostando uma a outra, cuidadosamente, para ver tudo ruir mais uma vez e uma outra recomeçar...!

Baralhada

Então como é? Ontem suei, literalmente, todo o dia, com o calor que se fez sentir! Parecia que tínhamos voltado ao bom do Verão! E hoje acordo com um frio dos diabos e com chuva, a bater na minha janela...assim não me entendo!

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Alguém me esclareça, por favor!

Nunca, jamais em tempo algum ouvi alguém dizer que tem muita pena daquele pedófilo senhor bancário, que abusou dos filhos adotivos, anos a fio...coitado do homem!
Nunca, jamais em tempo algum ouvi alguém dizer que tem muita pena do assassino rapaz que matou a namorada à porta do cemitério...coitadito do rapaz!
Nunca jamais em tempo algum ouvi alguém dizer que tem muita pena daquele aniquilador avô que matou o genro a tiro, com a neta ao colo...coitado do senhor!
Contudo, passo a vida a ouvir iluminados muitas pessoas a dizer que têm uma pena do monstro Renato Seabra. E gostaria de perceber porquê! 
Será porque assassinou a sangue frio e com os maiores requintes de malvadez um homem, que por acaso era homossexual, mais velho que ele, logo um "papa-meninos-inocentes-e-indefesos" (IRONIA)? 
Será porque, muito possivelmente, quis subir na vida a qualquer custo e, quando já não aguentou mais, decidiu torturar e matar a pessoa que o ajudou? 
Será porque, sem dó nem piedade, espalhou o terror naquele quarto durante 5 horas (!!!!!), tomou uma boa banhoca relaxante, vestiu o seu melhor fato, experimentou 3 pares de sapatos, optando por uns Versace, que ele próprio comprou, claro, e saiu como se nada fosse? 
Ou será porque lhes custa aceitar que um rapaz daqueles seja homossexual e se relacione por puro interesse com um homem que lhe pode dar oportunidades que quer? Ou será porque para eles um velho homossexual é nada mais que um aproveitador, promiscuo e que força rapazinhos a fazerem o que não querem? 
Custa-me perceber a piedade nutrida por um assassino. Custa-me!
Eu tenho pena sim! Tenho pena da mãe dele, que o educou com certeza com todo o amor e o vê tornar-se num assassino da pior espécie. Mas tenho acima de tudo pena dos familiares do homem que foi torturado até morrer, porque têm de ouvir os relatos detalhados em tribunal, têm de ver as imagens do seu ente querido, mutilado, têm de reviver este inferno dia após dia. E ainda têm de ouvir pessoas denegrirem a sua imagem, passando a ser a vítima o criminoso hediondo, pelo simples facto de ser homossexual. Quantas vezes já ouvi "O Carlos Castro tinha de o estar a obrigar a estar ali e a ter intimidade com ele...tem mesmo cara de nojento!". É da sabedoria popular...a fugir é dos sonsos! E pelos vistos é bem verdade! Para mim, os assassinos não se conhecem pelas feições, infelizmente...senão não teriam vítimas! 
Ele merece a justiça mais cega! Merece morrer devagarinho, dia após dia, numa qualquer prisão, sem nunca mais sair. Merece porque o terror que infligiu ao homem que o presenteou com tudo do bom e do melhor é demasiado horrível. Por mais que me custe aceitar, acredito que este caso nos mostrou que vivemos num país homofóbico...só assim consigo explicar a pena sentida e o apoio dedicado ao assassino de um homossexual!

(e a desculpa de o facto de ele ser novo chocar muito, não cola...o outro que matou a namorada tinha pouco mais de 20 anos e não vi ninguém abrir contas para o defender!)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Dia #7: Podes pasmar, professora!

No intervalo:

"Sabes professora, este fim de semana vi um filme que era mesmo real. Era sobre um homem que foi andar para o deserto e caiu numas pedras e teve de cortar o braço..." (127 horas)
"Tu viste esse filme??? E os teus pais deixaram??"
"Claro! Eles também viram!"
"Mas eles são adultos, D.! Podem! Tu nem 9 anos tens! Só falta me dizeres que também vês a Gabriela..."
"Claro! E quando não posso ver ponho a gravar!"

Ora toma! 

Por mim já chega!

Já não bastava o simples facto de ser segunda...ainda tinha de piorar MAIS????? 
Acordem-me na sexta...!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Dia #6: A lábia...

Turma de 3º e 4º ano, pouco depois de começar a aula:

"Teacher, may I go to the bathroom, please?"
"Oh J...deves estar a gozar comigo, não?" (afinal tinha passado pouco tempo desde o intervalo...)
"Yes or no?" (fazendo-se de desentendido...)
"Só por causa da tua persistência em Inglês...Yes you may!"

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Dia #5: Cuidar da imagem!


Turma de 1º ano:
"Professora, deixas-me ir à casa de banho?"
"Vai, vai L.!" (com algum receio de um acidente molhado, próprio da idade)

 Passados uns minutos:
"A L. está a demorar muito! "
"Se calhar está a fazer cocó, professora..." (é sempre bom ter alguém que nos apresente as possibilidades)

Passados mais uns minutos:
"Professora a L. demorou muito porque foi buscar o batom!"
"Quê???!" (incrédula!)
"Professora não fui nada buscar...eu já tinha o batom no bolso. Eu demorei porque fui fazer xixi e pintar os lábios..." (com a maior cara de pau e uns lábios alaranjados de fugir!)

Dia #4: A inocência do 1º ano

Depois do intervalo grande, é sempre complicado acalmar a canalha...mais ainda quando se juntam 2 turmas de 1º ano numa só sala! 28 alunos a fazer banzé é algo que ainda não consigo descrever!

"Ui! Vamos lá a calmar que o intervalo já acabou...vocês precisavam era de respirar fundo umas 3 vezes..."

Espanto dos espantos! No meio do barulho, 28 menino de olhos fechados a respirar fundo! Quantas vezes, quantas? 3! Lindos meninos!

Neste jogo que é a vida...

Neste jogo que é a vida vamos lançando os dados, crentes que aquela é que vai ser A jogada, aquela certeira, que há tanto tempo esperamos. 
Neste jogo que é a vida convivemos com todo o tipo de jogadores: 
Os cautelosos...que só apostam quando é ganho pela certa;
Os bluffers...que se fazem passar por quem não são, para ganhar;
Os aventureiros...que apostam tudo, mesmo sabendo que podem perder;
Os batoteiros...que querem ganhar a qualquer custo, ainda que seja com jogo falso;
Os que não sabem jogar...que vão aprendendo com os erros, jogo a jogo;
Os azarados...que, façam o que fizerem, saem sempre a perder;
Os sortudos...que ganham todas as jogadas, mesmo quando não se esforçam;

Neste jogo que é a vida nem sempre saímos vencedores...Mas aprendi que, após uma queda há que sacudir a poeira, levantar e andar de novo...e para a frente! Os dados estão lançados...agora resta esperar pela sorte...

domingo, 7 de outubro de 2012

Pelos pais se conhecem os filhos...

Cada vez mais me capacito que os filhos são nada mais que o espelho dos pais. Já não é novidade as minhas crises com os netos do meu vizinho do lado. Pois não fosse hoje um belo de um domingo...de paz para muitos e de inferno para mim! Hoje o merdas miúdo decidiu que atirar bolotas para o meu pátio era boa ideia. Uma...deixei-me estar...duas...comecei a ferver...três...tive de me levantar. 
"Olha Simão, não quero que atires coisas para o meu pátio."
"Também não tenho mais."
"Pois mas nem que tivesses mais. Não tens que atirar nada para o meu pátio. Eu não quero! Brincas desse lado e não atiras nada para aqui."
"Eu ia atirar ao cão, mas não consigo..."
" Também não vais atirar ao cão...aliás não vais atirar para lado nenhum, senão eu vou ter de falar com a tua avó!"
"Olha, fala para o bloco!"
"Quê???" - enquanto me encaminhava para a campainha da avó, o puto fugiu para o interior da casa.
Lá expliquei à senhora o sucedido, que até nem era pelas bolotas mas pela resposta própria de gente mal educada. A senhora desfez-se em desculpas, cheia de vergonha e chamou o neto à atenção. Entretanto, do interior da casa, apareceu o pai do menino, a perguntar o que se passava. Lá lhe contei que atirou bolotas e o fulano interrompe da seguinte forma:
"Se calhar ele queria atirar ao seu gato..."
"Pior ainda! Não vai atirar nada à minha gata! Era o que faltava!" 
Pois pasmem, meus queridos! Enquanto falava, ele simplesmente virou costas e deixou-me a falar sozinha. Nem um pedido de desculpas! E eu contentava-me bem com um simples "Desculpe o merdoso do mal educado do meu filho, mas é assim que eu o ensino em casa para ele ser como eu e ele age em conformidade, por isso nem sequer tenho autoridade, muito menos moral, para o chamar à atenção!" Juro que isto bastava! 
Eu já aturo muita criança mal educada à semana...mas pagam-me para isso! E logo eu, que nem sequer filhos tenho, vou ter de levar com gente de merda destas na minha casa, ao fim de semana? É muito para mim...

Crónicas de um fim de semana comprido

Nos últimos dias tenho estado ausente...mas só daqui! Tirar uns dias também faz falta e a altura não podia ser a melhor! Muita gente diz que na sexta foi feriado, porque foi a comemoração da Implantação da República...eu acho que a República já viu dias melhores...e se república é, mais parece a dos bananas! República dos Bananas! É isso! Como o dia 5 de Outubro é também o Dia do Professor, decidi comemorar com um belo de um passeio, pois apesar de não ser o melhor momento para o ensino, sempre vou tendo algumas alegrias e há que comemorar o facto de podermos fazer o que nos deixa felizes! 
Sábado fui visitar o meu príncipe Tobias, que ganhou a sua primeira cicatriz...marcas de uma infância feliz, livre e divertida...com os seus contratempos...O que importa é que o cobri de beijos e matei as saudades que já eram mais do que muitas! O Domingo é para relaxar...mas com os vizinhos do inferno...a coisa não está fácil!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

No Dia do Animal, em jeito de homenagem...

O amor não escolhe raças e é bem verdade...eu apaixonei-me assim que vos vi. A loiríssima Leonor, chegou  tímida, sozinha mas cheia de amor para dar. No mesmo dia, e completamente por surpresa, chegou a Martinha, rebelde e louca como só ela. Aconchegaram-se uma na outra e construiram uma irmandade que durou 5 anos...foram muitas as asneirolas a oito patas, mas fomos de facto muito felizes com elas. No início deste ano a "Nónó" decidiu não voltar para casa depois do seu passeio habitual. Perder um animal de estimação, que se ama profundamente, não é fácil. A Martinha parou de comer, miava o dia todo, estranhando a ausência da sua companheira de aventuras, sua irmã do coração. Apesar de todos os esforços, ela não voltou. Preferi acreditar que alguém a tomou como sem dono, pela ausência de coleira (que teimava sempre em perder). Preferi acreditar que está numa qualquer casa, com donos amorosos, que não podem acreditar na sorte que têm de ter encontrado uma gata tão fenomenal. Nós por cá continuamos felizes com a Martinha, mas sentimos a falta do quarto elemento da nossa família.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Amor em crise

Pobre Portugal, que até falso amor usa para fazer publicidade! Ainda por cima, escolheram um cenário tão digno, tão merecedor de algo maior...E não deixa de ser contraditório, se pensarmos bem. As pessoas estavam a manifestarem-se contra as injustiças, a austeridade, as mentiras...e mais uma vez, foram enganadas! Já nem se pode acreditar numa história de amor verdadeiro! O golpe publicitário pode até ser considerado de génio, visto ter posto o país inteiro a falar do seu "produto"...mas eu não o considero assim. Afinal, o país não falava de um perfume, e sim de uma pessoa...que agora se sabe não existir. Mais um logro para juntarmos ao vasto rol!

Portugal inteiro devia fazer boicote a este perfume e recusar-se até a cheirá-lo! Eu vou fazê-lo! E de verdade!

Dia #3: Uma tesoura fora de série!

"Professora eu hoje já trouxe caderno!"
"Muito bem, F! Já não era sem tempo! Dá-me então a tua tesoura para eu cortar o desenho que pintaste...vais colá-lo no caderno."
"Sabes professora, a minha tesoura é que é fixe! Ela corta assim (gesto vertical) e assim (gesto horizontal)!


(o que vai ser desta criança quando descobrir que a mesma tesoura até faz curvas e contracurvas??)

Dia #2: Confusão cultural

Cenário: aula do 4º ano
Reino Unido: abordagem cultural

"...O Reino Unido é governado por uma rainha..."
R: "Oh teacher, e a rainha ainda usa aqueles vestidos muito grandes e cheios e até aos pés?"
L: "E ainda andam em carroças puxadas a cavalos?"
R: "E são eles que vão às compras?"
"Filhos...por amor de Deus...estamos no século XXI, sim? A rainha veste-se com vestidos normais da nossa época, anda em carros...e dos bons...e quanto às compras...estás a ver a rainha a dizer: ah e tal acabou o sal, vou ao Lidl ver as promoções...?"

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Ei, Câmara!

Segunda foi ontem! Hoje é terça...não vale lembrarem-se de cortar a água assim, de manhã, a uma mulher que a única coisa que quer é tomar banho! E agora? Lavo-me com toalhitas, é? E este cabelo? Ponho gel? Dasse! Já vi que o dia promete! Duas segundas seguidas...só pode ser para compensar o feriado!
(Isto acontece com alguma frequência, na minha zona. Cortam a água por mil motivos e nem sequer avisam, para as pessoas se prepararem...acho que vou à câmara reclamar!)