leram-me

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Como vais ser tu, 2013?

Sempre ouvi o meu pai dizer que os anos bissextos são anos de calamidades...e 2012 foi, sem sombra de dúvidas, muito difícil de aguentar, a todos os níveis! Os (quase) 366 dias não foram nada fáceis. Houve dias em que a vontade era até de desistir! Mas, esperar é mesmo uma virtude! E agora, quase no final, 2012 lá se redimiu de tantos dias vazios, frustrantes e de agonia! Mostrou-me por A+B que os meus sonhos também se concretizam! Que as boas notícias surgem e que ainda há quem valorize o que faço! 
Vou entrar no novo ano com a certeza de que será melhor que 2012! Vou acreditar que 13 é o meu número de sorte! Vou crer que este vai ser O ano...o das concretizações, das realizações...aquele que eu achava que 2012 seria! Mas para este, parto com mais fé! Mais confiança! Até porque boas coisas VÃO acontecer já no início do ano! 
Mi aguardem, minha genti! 

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

E é Natal...mais uma vez!

Os dias apressaram-se, desde o último Natal. 12 meses aceleraram o passo, o Natal presente chegou finalmente! Com ele chegaram também as mensagens próprias da época, as investidas contra o consumismo e os sentimentos inflamados e natalícios. Os jantares e as festas de Natal atabalhoaram-se nas últimas semanas antes da noite da consoada, deixando em nós a impressão de quase nos multiplicarmos para conseguirmos fazer tudo!

Gosto particularmente do Natal...não me faz impressão o consumismo, porque isso é uma escolha de cada um. Gosto de fazer os meus presentes, de os embrulhar a preceito e de os tornar especiais para quem os recebe...porque para mim, o Natal é um pouco mais do que presentes. É ter sentimentos bonitos a esbordar-nos do peito! É o cheiro a canela em todas as cozinhas. É um postal que chega pelo correio, no meio das contas para pagar! É ter as luzinhas a piscar no meio da escuridão da sala. É vermelho e verde e dourado! É o bacalhau e a roupa velha avinagrada! É particularmente a família reunida num jantar especial. 

Que neste Natal possamos desembrulhar o presente e vislumbrar o melhor dos futuros!
A todos um Feliz Natal! 


(e parem de se queixar do trânsito, das filas e da confusão do consumismo...é Natal...época de paz, amor e fraternidade)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Quem disse que hoje não foi o Fim do Mundo...

...não foi ao Hospital de Famalicão, de certeza! Lá, meus queridos, vos garanto, que foi o Fim do Mundo...em cuecas! Deu'ma'libre!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Carta ao Pai Natal

19 de dezembro de 2012

Querido pai Natal,

Espero que estejas bem de saúde e que tenhas começado a tomar os comprimidos para a memória.
Eu estou bem, obrigada! Este ano portei-me bem, à semelhança dos anteriores...apesar disso não me trazer grandes benefícios...enfim!
Devo confessar que estou um pouco aborrecida contigo, já que TODOS os anos faço o meu papel de tua ajudante muito bem e tu esqueces-te de mim ano após ano. Trato dos presentes (já que a tua idade avança e todos sabemos que a idade e a memória não são os melhores amigos...), pratico o bem e sou amiga do meu amigo...e por vezes até do meu inimigo! Tenho tido calma e paciência (apesar das más línguas que dizem que eu não as tenho, mas não sabem do que falam...) e vou ultrapassando o melhor que sei as adversidades que se atravessam no meu caminho. 
No ano passado pedi-te apenas uma coisa! Uma só...não fui gananciosa e nem sequer pedi a paz mundial, já que sei que isso é o que tu queres há muito! O meu pedido nem sequer tinha de ser entregue no sapatinho, naquela noite...tinhas os 365 dias seguintes para mo entregar...esperei com toda a calma e paciência que tinha no corpo, mas o certo é que, mais uma vez, te esqueceste de mim! E assim não vale! Não quero jogar mais ao Pai Natal e aos ajudantes! Por isso este ano não fiz o teu trabalho! Não comprei nenhum presente! Essa é a TUA tarefa! Eu cá virei costas ao consumismo e vou viver o Natal, que é supostamente a festa da família, com a família, dando unicamente o meu amor como presente! Todos me dizem que não vai ser a mesma coisa, mas acho que alguém tem de te dar uma lição! Como podes depreender, este ano não quero que me tragas nada. E se a memória já não faz nada por ti, em vez de teres uma lista dos meninos bem e mal comportados(que a meu ver também já vais confundindo...), arranja uma lista do que tens para fazer! (Não leves a mal...continuo a gostar de ti na mesma...)

Bem, e assim me despeço, com os votos de um santo Natal para ti e para os teus...

Su

sábado, 15 de dezembro de 2012

Pseudo-Fim de Semana

Esta semana não há fim de semana! Festas de natal (nas escolas) para organizar hoje e amanhã e atuações para cumprir a preceito! Vidas...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Manter a magia dá trabalho...mas é imperativo!

No meio de uma "acesa discussão" sobre a existência do Pai Natal, na sala do 3º ano, eis que uma aluna se insurge. E o que me retratou emocionou-me, pois percebi o esforço que um pai ou uma mãe por vezes fazem para manter a magia viva no coração dos seus filhos. 
"Olha professora eu SEI que o Pai Natal existe...sabes porquê? No ano passado, fui passar o Natal a casa dos meus avós. E quando estávamos a jantar, um vizinho nosso ligou para os meus avós para avisar que o nosso alarme estava a tocar. Fomos todos a minha casa e o portão estava fechado...estava tudo trancado como tínhamos deixado. Mas depois, quando entrámos em casa, no chão da sala, perto do pinheiro, tinha duas pegadas de botas...e tinha um presente debaixo da árvore, que não estava lá quando nós saímos para os meus avós. Oh professora...se o Pai Natal não existisse, como é que o alarme ia tocar sem ninguém entrar em casa? E as pegadas? E o presente? Nós estávamos todos na casa dos meus avós...por isso é óbvio que ele existe!"

Posto isto, não importa se é uma época comercial...se o Pai Natal é inventado e só traz comercialismos com ele...o que interessa é que a magia de acreditar em algo que não se vê, não se toca, não se percebe e não se explica é maior que tudo o resto! 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Está confirmado!

Afinal o mundo não acabou a 12-12-12 pelas 17 horas (admira-me que não tivessem previsto às 12:12)! Resta-nos aguardar pelo dia 21...(seria uma pena, visto ser uma sexta feira e o Natal estar à porta!) 

Mundo, se é para acabares...

acaba rápido, que ainda tenho umas coisas para fazer...e assim não fazia!


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Natal Vintage

Naquele tempo os olhos de criança funcionavam como verdadeiras lupas...o colo do pai era enorme e reconfortante. A mãe era a mais bela das mulheres. O avô era tão, mas tão alto, como uma torre...e eram precisos bicos de pés e umas costas curvadas para que o abraço se desse. A comida da avó era a mais saborosa iguaria de todas e o Natal dos Hospitais era um programão! A mesa de Natal parecia não ter fim...e onde hoje mal cabem 8, cabiam 20! O presépio estendia-se por metros e metros sem fim, (quando na realidade ocupavam a superfície de uma cristaleira). Os pinhões eram retirados das pinhas, apanhadas a custo, dos pinheiros que pareciam tocar o céu... e aos quais subíamos com uma estranha facilidade. 
Naquele tempo o sonho comandava a vida e a leveza dos dias ajudavam à crença numa vida boa e feliz.  
Hoje as concretizações são muito poucas...os sonhos não passam disso mesmo. As pessoas imprescindíveis passaram a memórias e a mesa de Natal está cada vez menor. O Natal dos Hospitais banalizou-se e dá em todos os canais. O presépio já não tem lugar na cristaleira e resumiu-se a 3 imagens...e os pinhões são pagos a preço de ouro e saem de invólucros de plástico, de uma qualquer prateleira de um hipermercado. 
Naquele tempo os dias passavam mais devagar...hoje, atropelam-se e sobrepõem-se uns aos outros, com ânsia de cada um ser mais rápido que o outro...e mais vazio de tudo.
Quero muito um Natal Vintage...com as cores daquele tempo em que a inocência me fazia sonhar mais!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Será?

Se é verdade que só colhemos o que plantamos..vejo-me forçada a concluir que só devo ter andado a plantar m**** desde 1977! Era só isto...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

E depois...

...chega aquele inevitável momento em que sentes a força do desânimo... em que os desaires têm mais força...em que tudo o que não conquistaste te assombra...em que tudo o que ficou na gaveta te envergonha por não tentares só mais uma vez...

domingo, 2 de dezembro de 2012

Coisas que só me acontecem a mim, parte 2

Queria ir ao cinema, mas não me apetecia pagar dois bilhetes. O casal amigo que ia connosco tinha cartão Zon...nós não! Mas isto não é coisa para me impedir. Ora vai de pedir um cartão emprestado. Na dúvida se me pediriam identificação do titular do cartão, decidi perguntar ao funcionário que me atendeu, na reserva de bilhetes:
"Diga-me uma coisa, por favor. Se eu quiser usar um cartão Zon que não é meu, que documentos tenho de levar, do titular?" (ainda numa de ser honesta)
"Menina, o cartão só pode ser usado pelo titular, esposa e filhos..." 
"Ah...mas o cartão é do meu marido e eu vou ao cinema sem ele...que documento devo levar dele?" (armei-me em chico-esperta em 3 tempos...)
"Dele não precisa levar nada...apresenta a sua identificação!"
"Mas não tenho nenhum documento onde conste o nome do meu marido!"
"Não???" (incrédulo)
"Não...!" (mais incrédula ainda que ele)
"Mas o apelido comprova!"
"Qual apelido?
"O dele...não tem o apelido dele no seu nome?"
"...Não..." 
"E é mesmo casada com ele???!" (inacreditável, eu sei...)
"Sou..." 
"Então se calhar é melhor perguntar no balcão, quando levantar os bilhetes...boa noite e obrigada!"

Fomos ao cinema, não apresentamos qualquer documento, só pagamos um bilhete...e continuamos casados, estranhamente sem apelidos em comum! 

sábado, 1 de dezembro de 2012

Coisas que só me acontecem a mim!

Estes dias fui buscar o meu Cartão de Cidadão...sim, finalmente deixei o bom e velho e grande B.I. Já no Registo Civil cá da terrinha, aproximo-me do guiché, após chamarem o número da minha senha! 
"Nome, por favor..."
Busca incessante nas gavetinhas do arquivo...Nova busca incessante nas gavetinhas do arquivo...
"Tem a certeza que ficou de vir levantar o cartão aqui?"
"Sim! Tirei-o aqui...vim buscá-lo aqui..."
"Se calhar é melhor ver nos sítios onde não era suposto estar...às vezes..."
Busca pelas gavetinhas onde não tinha procurado ainda...
"Ah! Está aqui menina Su...no meio dos homens!"
"Pois...mas olhe que não sou homem! Garanto-lhe!" 
E assim se apanha uma vergonha, à conta da incompetência alheia...bida!

É hora...

...de começar o Natal cá em casa! 
Porque há tradições que são para manter!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Andei aqui a pensar...

Andei aqui a pensar...e se isto a que chamamos vida não passasse de uma série famosa, que já vai na temporada 2012, bem ao género Dallas? E se Deus anda a dar uma de produtor, e os anjos não passam de uma boa equipa de escritores, que inventam personagens e enredos atrás de enredos? 
Por vezes, penso que esta vida se assemelha, em muito, a um qualquer enredo, que vemos em séries de televisão ou em novelas. Há acontecimentos inacreditáveis, imprevisíveis, apaixonantes, decepcionantes...para todos os gostos! 
Quantas vezes não me sinto tal como uma personagem, à mercê das decisões alheias, sem controlo da minha vida? 
Haverá um público que ri com as nossas patetices, sofre com os nossos desgostos e torce pelos nossos sucessos? 
Que tipo de personagem serei? Qual o meu papel, neste enredo tão complexo? 


Dia #12: Para que não haja confusões!

Aula ao 1º ano, introduzindo o tema "Toys"

"Hoje vamos começar a falar de um tema que está de certa forma relacionado com o Natal..."
"Oh professora, mas eu não posso ouvir isso, que eu não sou Testemunha do Natal! Sou Testemunha de Jeová!"
"L. só vais aprender o nome de brinquedos em inglês...não sou professora de Educação Moral e Religiosa...!"

Posto isto, estou a ver que vou ter de trabalhar dobrado...já que a criança vem bem ensaiada de casa!

Dia #11: Uma questão de perspetivas...

De manhã:
"Professora, a água do rio está quentinha!"
"Achas? Com este frio? Deve estar gelada!"
"Não, não professora! Eu vi! Está quentinha! Até deitava fumo..."

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Ódios de estimação em atraso...

Esta semana nem tive tempo de odiar a segunda...ela gosta de mim de tal forma que se manteve em espírito até hoje!
 Lucky me!

domingo, 25 de novembro de 2012

Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres

Sou da opinião que uma mulher quando casa, ou quando entra num relacionamento, acredita que aquela pessoa é a tal. Acredita que aquela pessoa a vai fazer sentir única, especial e amada. Acredita que aquela pessoa é a ideal para formar uma família. 
Não gosto de ouvir pessoas dizerem que se juntam em vez de casarem porque depois é mais fácil para separar...bolas! Mas juntar os trapinhos não implica comprometimento? Não significa partilhar uma vida com outra pessoa? E se estão já a pensar na separação...porque dar o passo em frente? Porquê juntar? É demasiado complexo para o meu entendimento, confesso...
Não creio que existam casamentos ou uniões perfeitos. Todos os casais têm os seus momentos...mas efetivamente a violência doméstica é algo que não consigo perceber! Não concebo que um homem ache que a mulher é sua pertença. Logo é-lhe permitido subjugar aquela que ludibriou para uma vida, que nunca teve intenção de lhe dar. Não consigo entender como uma mente pode achar-se no direito de agredir o seu par, consequentemente, dia após dia, achar que tem motivos para isso e que ela merece. Faz-me nojo pensar que bate, ameaça e humilha e no dia seguinte pede desculpa...como se tivesse necessidade de lançar a mulher na esperança da mudança, para depois, umas horas mais tarde destruí-la por completo, arrastando-a para mais agressividade, humilhação e mais do mesmo. 
Uma mulher que passa por este tipo de inferno é sem qualquer sombra de dúvida uma SUPER MULHER! E ela, de certeza, que também já proferiu frases como as que proferimos nós, que não somos agredidas..."eu até o matava!" "a mim não me batia!" " o meu marido não era capaz de me fazer isto nunca!"...até ao dia em que acordou para uma realidade diferente da que imaginava estar a viver.
A violência doméstica tem de ser denunciada! Como é possivel dormir descansada, sabendo que a vizinha levou uma sova? Como é possível no dia seguinte dizer bom dia a tamanho animal, como se fosse o mais comum dos homens? As mentalidades têm de mudar! O ditado "Entre marido e mulher não se mete a colher" está mais do que ultrapassado, no que respeita à violência! 

sábado, 24 de novembro de 2012

Dias frios de Outono

Gosto dos dias frios de Outono...daqueles que nos obrigam a meias de lã, a mantas quentes...daqueles que, além de permitirem, anseiam pela gata, enrolada aos pés, ronronando e embalando os minutos, que passam devagar.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Relativizar!

Assusta-me a forma ligeira como relativizamos tudo...quando é referente aos outros. Compreendemos todas as dores, percebemos todos os problemas e ainda nos damos ao luxo de opinar...mas do lado de fora, onde tudo é bem mais confortável! 

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

À segunda voltas à labuta!

Cá em casa estamos assim...com a particularidade de ser EU a ter de trabalhar! 
Raios! Ainda falta muito para o fim de semana???

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Dia #10: Significados díspares

Turma do 1º ano. 
Após canção "Betty, the cow"

"Oh professora...vaca leiteira é uma vaca que dá leite não é?"
"É A.! Claro que é!"
"Sabes, é que o M. acha que vaca leiteira é um palavrão!"


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Oh gente da minha terra!

A greve é um direito que assiste a TODOS os cidadãos! Longe vai o tempo em que as greves eram vividas com 100% de adesão! E sabem que mais? Naquele tempo, o dinheiro também fazia falta a quem fazia greve! Mas havia uns quantos aspectos ligeiramente diferentes: havia união, coragem e vontade de mudar o que estava errado! Desde quando um cidadão TEM o dever de dizer se vai fazer greve ou não, só para facilitar a vida a quem não vai fazer greve? A greve é feita com o propósito de causar impacto! Se fosse para avisar que iam fazer greve, arranjavam-se alternativas e a única consequência seria o grevista perder o dinheiro do seu dia! Assim o grevista perde o dinheiro do seu dia...e num país como deve ser, o patrão ver-se-ia à nora com a falta de mãos para trabalhar! Mas não em Portugal...onde tudo vai bem! Onde fazer greve é uma idiotice, porque não vai resolver nada! Onde, numa escola, só há idiotas porque não dizem se vai haver greve ou não e isso causa muito transtorno! Onde há UM funcionário que vai contra 99% dos colegas e fura a greve, só porque adora lamber retaguardas alheias! E assim se vive no nosso belo Portugal...vai-se ao café e fala-se mal do governo, chama-se um chorrilho de nomes ao primeiro ministro, diz-se que já não se pode cá viver...e na primeira oportunidade de mostrar o descontentamento, enfia-se o rabinho entre as pernas, esconde-se atrás da desculpa "preciso muito do dinheiro" (como se o resto das pessoas não precisasse!) e ainda se critica quem opta por agir! Quem não quer fazer greve que não faça! Mas que não dificulte a vida a quem quer pelo menos tentar lutar!
 Adoro este nosso Portugal! ADORO!!!!!!

É triste, mas é verdade!

Vivemos num país desunido e cobarde! Tenho dito!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Crónicas de um (início de) dia

Acordar!
Levantar e abrir a persiana...deparar-me com o sol maravilhoso lá fora!
Preparar-me para tomar banho...
Não há água cá em casa! Lindo! Perfeito! Obrigada Câmara Municipal pelo presentinho logo pela manhã! Adorei! E ainda por cima já é a segunda vez em cerca de 6 dias que cortam a água sem avisar...muita obra se faz nesta cidade! E os habitantes que não se lavem, pois têm mais é de poupar água! A conta ao final do mês, essa não tem qualquer desconto! Claro!
Agora vou ver se vou ali num instante tomar um banho com toalhitas...um gelzito básico no cabelo...perfuminho q.b. para não intoxicar ninguém...e encarar mais uma terça que veio disfarçada de segunda! Começamos bem! 

Será que se eu for à Câmara pedir um subsídio para toalhitas eles me dão?

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Dia #9: Famílias em crise

"Sabes professora...eu disse-te que ia trazer o dinheiro para pagar o livro não disse?"
"Disseste, G. Foste o único que disse que não ia pedir à mãe...ias tirar do teu mealheiro!"
"Pois...mas não te pude trazer o dinheiro...sabes porquê?"
"Conta lá..."
"A minha mãe roubou-me o dinheiro todo!"


Nem sequer soube o que dizer...
tristeza de país, que obriga pais a "roubarem" os próprios filhos para poderem ter o que comer...

Com cuidado, segunda!


domingo, 4 de novembro de 2012

Nunca deixes de sonhar

Se, há dois dias, quando acordei, me dissessem que um dos meus sonhos estaria a algumas horas de se realizar, não acreditaria! possivelmente encolheria os ombros e pensaria "Sim, sim...está bem..." A minha vida fez-me assim, descrente! 
Mas afinal os sonhos concretizam-se...em qualquer dia, por mais banal que pareça! 
Quando não estamos habituados a boas notícias, elas parecem-nos estranhas. De repente, vêmo-nos confrontados com uma realidade, até então tão irreal! 
A sensação é boa! É mesmo muito boa! É o dever cumprido! É ver o trabalho de tanto tempo recompensado! É satisfação pessoal! É orgulho! É muita alegria junta a transbordar num coração, até então, cheio de desilusão e descrédito. Afinal as coisas boas acontecem! Afinal as coisas boas acontecem-me! Agora só gostava que as coisas boas acontecessem em cadeia, da mesma forma que as menos boas, que se encavalitam umas nas outras!
É que a sensação de ver um sonho realizado vicia...e eu até nem tenho tantos assim! 
Será esta uma maré de sorte? Quer parecer-me que sim!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O cobrador de afetos

O cobrador de afetos é um ser peculiar. Ele próprio não espalha afetos mas sente-se no direito de os cobrar aos outros.
O cobrador de afetos centra-se em si. É egoísta, julga-se o umbigo do mundo e, por esse motivo, todos, sem exceção lhe devem "serventia afetuosa".
O cobrador de afetos tem os maiores e os mais preocupantes problemas.
O cobrador de afetos não tem qualquer controlo da sua vida. Por isso tenta controlar a dos outros, sempre que lhe é possível!
O cobrador de afetos gosta de piedade...e que a nutram por si. Escolhe, por isso, viver todos os seus pseudo-problemas sem nunca os solucionar, pois aí perderá a atenção que gosta de ter.
O cobrador de afetos gosta unicamente de si, preocupa-se unicamente consigo e cobra por considerar que todos lhe devem "vassalagem emocional ", devido à vida difícil que vive!
O cobrador de afetos nunca olha em volta, nem vê nada de positivo na sua própria existência. Tudo porque é parasita do afeto alheio.
O cobrador de afetos só tem um único tema de conversa: ele próprio!

Felizmente conheço alguns Semeadores de Afetos...e, esses sim, fazem valer a pena!

Dia #8: Preocupações!

Aula ao 1º ano, após um atraso de 2/3 minutos...

"Sabes professora...eu estava preocupado contigo."
"Porquê, A.?"
"Porque te atrasaste um bocadinho e eu pensei que tu estavas a vir de carro e descapotaste!"

Impossível não amar a minha profissão!

Hoje é dia...

...de calçar as galochas e pintar com alguma cor este dia que começou tão cinzento! Vamos lá! 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Castelos no ar

Sinto-me constantemente a construir castelos de cartas. Com todo o cuidado, almejando o final com sucesso. Mas as cartas são frágeis e lá se desmoronam...basta um passo em falso, um ventinho, uma passada mais pesada e ... PUM! Lá tenho eu de começar tudo de novo, acreditando novamente, colocando carta em cima de carta, encostando uma a outra, cuidadosamente, para ver tudo ruir mais uma vez e uma outra recomeçar...!

Baralhada

Então como é? Ontem suei, literalmente, todo o dia, com o calor que se fez sentir! Parecia que tínhamos voltado ao bom do Verão! E hoje acordo com um frio dos diabos e com chuva, a bater na minha janela...assim não me entendo!

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Alguém me esclareça, por favor!

Nunca, jamais em tempo algum ouvi alguém dizer que tem muita pena daquele pedófilo senhor bancário, que abusou dos filhos adotivos, anos a fio...coitado do homem!
Nunca, jamais em tempo algum ouvi alguém dizer que tem muita pena do assassino rapaz que matou a namorada à porta do cemitério...coitadito do rapaz!
Nunca jamais em tempo algum ouvi alguém dizer que tem muita pena daquele aniquilador avô que matou o genro a tiro, com a neta ao colo...coitado do senhor!
Contudo, passo a vida a ouvir iluminados muitas pessoas a dizer que têm uma pena do monstro Renato Seabra. E gostaria de perceber porquê! 
Será porque assassinou a sangue frio e com os maiores requintes de malvadez um homem, que por acaso era homossexual, mais velho que ele, logo um "papa-meninos-inocentes-e-indefesos" (IRONIA)? 
Será porque, muito possivelmente, quis subir na vida a qualquer custo e, quando já não aguentou mais, decidiu torturar e matar a pessoa que o ajudou? 
Será porque, sem dó nem piedade, espalhou o terror naquele quarto durante 5 horas (!!!!!), tomou uma boa banhoca relaxante, vestiu o seu melhor fato, experimentou 3 pares de sapatos, optando por uns Versace, que ele próprio comprou, claro, e saiu como se nada fosse? 
Ou será porque lhes custa aceitar que um rapaz daqueles seja homossexual e se relacione por puro interesse com um homem que lhe pode dar oportunidades que quer? Ou será porque para eles um velho homossexual é nada mais que um aproveitador, promiscuo e que força rapazinhos a fazerem o que não querem? 
Custa-me perceber a piedade nutrida por um assassino. Custa-me!
Eu tenho pena sim! Tenho pena da mãe dele, que o educou com certeza com todo o amor e o vê tornar-se num assassino da pior espécie. Mas tenho acima de tudo pena dos familiares do homem que foi torturado até morrer, porque têm de ouvir os relatos detalhados em tribunal, têm de ver as imagens do seu ente querido, mutilado, têm de reviver este inferno dia após dia. E ainda têm de ouvir pessoas denegrirem a sua imagem, passando a ser a vítima o criminoso hediondo, pelo simples facto de ser homossexual. Quantas vezes já ouvi "O Carlos Castro tinha de o estar a obrigar a estar ali e a ter intimidade com ele...tem mesmo cara de nojento!". É da sabedoria popular...a fugir é dos sonsos! E pelos vistos é bem verdade! Para mim, os assassinos não se conhecem pelas feições, infelizmente...senão não teriam vítimas! 
Ele merece a justiça mais cega! Merece morrer devagarinho, dia após dia, numa qualquer prisão, sem nunca mais sair. Merece porque o terror que infligiu ao homem que o presenteou com tudo do bom e do melhor é demasiado horrível. Por mais que me custe aceitar, acredito que este caso nos mostrou que vivemos num país homofóbico...só assim consigo explicar a pena sentida e o apoio dedicado ao assassino de um homossexual!

(e a desculpa de o facto de ele ser novo chocar muito, não cola...o outro que matou a namorada tinha pouco mais de 20 anos e não vi ninguém abrir contas para o defender!)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Dia #7: Podes pasmar, professora!

No intervalo:

"Sabes professora, este fim de semana vi um filme que era mesmo real. Era sobre um homem que foi andar para o deserto e caiu numas pedras e teve de cortar o braço..." (127 horas)
"Tu viste esse filme??? E os teus pais deixaram??"
"Claro! Eles também viram!"
"Mas eles são adultos, D.! Podem! Tu nem 9 anos tens! Só falta me dizeres que também vês a Gabriela..."
"Claro! E quando não posso ver ponho a gravar!"

Ora toma! 

Por mim já chega!

Já não bastava o simples facto de ser segunda...ainda tinha de piorar MAIS????? 
Acordem-me na sexta...!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Dia #6: A lábia...

Turma de 3º e 4º ano, pouco depois de começar a aula:

"Teacher, may I go to the bathroom, please?"
"Oh J...deves estar a gozar comigo, não?" (afinal tinha passado pouco tempo desde o intervalo...)
"Yes or no?" (fazendo-se de desentendido...)
"Só por causa da tua persistência em Inglês...Yes you may!"

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Dia #5: Cuidar da imagem!


Turma de 1º ano:
"Professora, deixas-me ir à casa de banho?"
"Vai, vai L.!" (com algum receio de um acidente molhado, próprio da idade)

 Passados uns minutos:
"A L. está a demorar muito! "
"Se calhar está a fazer cocó, professora..." (é sempre bom ter alguém que nos apresente as possibilidades)

Passados mais uns minutos:
"Professora a L. demorou muito porque foi buscar o batom!"
"Quê???!" (incrédula!)
"Professora não fui nada buscar...eu já tinha o batom no bolso. Eu demorei porque fui fazer xixi e pintar os lábios..." (com a maior cara de pau e uns lábios alaranjados de fugir!)

Dia #4: A inocência do 1º ano

Depois do intervalo grande, é sempre complicado acalmar a canalha...mais ainda quando se juntam 2 turmas de 1º ano numa só sala! 28 alunos a fazer banzé é algo que ainda não consigo descrever!

"Ui! Vamos lá a calmar que o intervalo já acabou...vocês precisavam era de respirar fundo umas 3 vezes..."

Espanto dos espantos! No meio do barulho, 28 menino de olhos fechados a respirar fundo! Quantas vezes, quantas? 3! Lindos meninos!

Neste jogo que é a vida...

Neste jogo que é a vida vamos lançando os dados, crentes que aquela é que vai ser A jogada, aquela certeira, que há tanto tempo esperamos. 
Neste jogo que é a vida convivemos com todo o tipo de jogadores: 
Os cautelosos...que só apostam quando é ganho pela certa;
Os bluffers...que se fazem passar por quem não são, para ganhar;
Os aventureiros...que apostam tudo, mesmo sabendo que podem perder;
Os batoteiros...que querem ganhar a qualquer custo, ainda que seja com jogo falso;
Os que não sabem jogar...que vão aprendendo com os erros, jogo a jogo;
Os azarados...que, façam o que fizerem, saem sempre a perder;
Os sortudos...que ganham todas as jogadas, mesmo quando não se esforçam;

Neste jogo que é a vida nem sempre saímos vencedores...Mas aprendi que, após uma queda há que sacudir a poeira, levantar e andar de novo...e para a frente! Os dados estão lançados...agora resta esperar pela sorte...

domingo, 7 de outubro de 2012

Pelos pais se conhecem os filhos...

Cada vez mais me capacito que os filhos são nada mais que o espelho dos pais. Já não é novidade as minhas crises com os netos do meu vizinho do lado. Pois não fosse hoje um belo de um domingo...de paz para muitos e de inferno para mim! Hoje o merdas miúdo decidiu que atirar bolotas para o meu pátio era boa ideia. Uma...deixei-me estar...duas...comecei a ferver...três...tive de me levantar. 
"Olha Simão, não quero que atires coisas para o meu pátio."
"Também não tenho mais."
"Pois mas nem que tivesses mais. Não tens que atirar nada para o meu pátio. Eu não quero! Brincas desse lado e não atiras nada para aqui."
"Eu ia atirar ao cão, mas não consigo..."
" Também não vais atirar ao cão...aliás não vais atirar para lado nenhum, senão eu vou ter de falar com a tua avó!"
"Olha, fala para o bloco!"
"Quê???" - enquanto me encaminhava para a campainha da avó, o puto fugiu para o interior da casa.
Lá expliquei à senhora o sucedido, que até nem era pelas bolotas mas pela resposta própria de gente mal educada. A senhora desfez-se em desculpas, cheia de vergonha e chamou o neto à atenção. Entretanto, do interior da casa, apareceu o pai do menino, a perguntar o que se passava. Lá lhe contei que atirou bolotas e o fulano interrompe da seguinte forma:
"Se calhar ele queria atirar ao seu gato..."
"Pior ainda! Não vai atirar nada à minha gata! Era o que faltava!" 
Pois pasmem, meus queridos! Enquanto falava, ele simplesmente virou costas e deixou-me a falar sozinha. Nem um pedido de desculpas! E eu contentava-me bem com um simples "Desculpe o merdoso do mal educado do meu filho, mas é assim que eu o ensino em casa para ele ser como eu e ele age em conformidade, por isso nem sequer tenho autoridade, muito menos moral, para o chamar à atenção!" Juro que isto bastava! 
Eu já aturo muita criança mal educada à semana...mas pagam-me para isso! E logo eu, que nem sequer filhos tenho, vou ter de levar com gente de merda destas na minha casa, ao fim de semana? É muito para mim...

Crónicas de um fim de semana comprido

Nos últimos dias tenho estado ausente...mas só daqui! Tirar uns dias também faz falta e a altura não podia ser a melhor! Muita gente diz que na sexta foi feriado, porque foi a comemoração da Implantação da República...eu acho que a República já viu dias melhores...e se república é, mais parece a dos bananas! República dos Bananas! É isso! Como o dia 5 de Outubro é também o Dia do Professor, decidi comemorar com um belo de um passeio, pois apesar de não ser o melhor momento para o ensino, sempre vou tendo algumas alegrias e há que comemorar o facto de podermos fazer o que nos deixa felizes! 
Sábado fui visitar o meu príncipe Tobias, que ganhou a sua primeira cicatriz...marcas de uma infância feliz, livre e divertida...com os seus contratempos...O que importa é que o cobri de beijos e matei as saudades que já eram mais do que muitas! O Domingo é para relaxar...mas com os vizinhos do inferno...a coisa não está fácil!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

No Dia do Animal, em jeito de homenagem...

O amor não escolhe raças e é bem verdade...eu apaixonei-me assim que vos vi. A loiríssima Leonor, chegou  tímida, sozinha mas cheia de amor para dar. No mesmo dia, e completamente por surpresa, chegou a Martinha, rebelde e louca como só ela. Aconchegaram-se uma na outra e construiram uma irmandade que durou 5 anos...foram muitas as asneirolas a oito patas, mas fomos de facto muito felizes com elas. No início deste ano a "Nónó" decidiu não voltar para casa depois do seu passeio habitual. Perder um animal de estimação, que se ama profundamente, não é fácil. A Martinha parou de comer, miava o dia todo, estranhando a ausência da sua companheira de aventuras, sua irmã do coração. Apesar de todos os esforços, ela não voltou. Preferi acreditar que alguém a tomou como sem dono, pela ausência de coleira (que teimava sempre em perder). Preferi acreditar que está numa qualquer casa, com donos amorosos, que não podem acreditar na sorte que têm de ter encontrado uma gata tão fenomenal. Nós por cá continuamos felizes com a Martinha, mas sentimos a falta do quarto elemento da nossa família.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Amor em crise

Pobre Portugal, que até falso amor usa para fazer publicidade! Ainda por cima, escolheram um cenário tão digno, tão merecedor de algo maior...E não deixa de ser contraditório, se pensarmos bem. As pessoas estavam a manifestarem-se contra as injustiças, a austeridade, as mentiras...e mais uma vez, foram enganadas! Já nem se pode acreditar numa história de amor verdadeiro! O golpe publicitário pode até ser considerado de génio, visto ter posto o país inteiro a falar do seu "produto"...mas eu não o considero assim. Afinal, o país não falava de um perfume, e sim de uma pessoa...que agora se sabe não existir. Mais um logro para juntarmos ao vasto rol!

Portugal inteiro devia fazer boicote a este perfume e recusar-se até a cheirá-lo! Eu vou fazê-lo! E de verdade!

Dia #3: Uma tesoura fora de série!

"Professora eu hoje já trouxe caderno!"
"Muito bem, F! Já não era sem tempo! Dá-me então a tua tesoura para eu cortar o desenho que pintaste...vais colá-lo no caderno."
"Sabes professora, a minha tesoura é que é fixe! Ela corta assim (gesto vertical) e assim (gesto horizontal)!


(o que vai ser desta criança quando descobrir que a mesma tesoura até faz curvas e contracurvas??)

Dia #2: Confusão cultural

Cenário: aula do 4º ano
Reino Unido: abordagem cultural

"...O Reino Unido é governado por uma rainha..."
R: "Oh teacher, e a rainha ainda usa aqueles vestidos muito grandes e cheios e até aos pés?"
L: "E ainda andam em carroças puxadas a cavalos?"
R: "E são eles que vão às compras?"
"Filhos...por amor de Deus...estamos no século XXI, sim? A rainha veste-se com vestidos normais da nossa época, anda em carros...e dos bons...e quanto às compras...estás a ver a rainha a dizer: ah e tal acabou o sal, vou ao Lidl ver as promoções...?"

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Ei, Câmara!

Segunda foi ontem! Hoje é terça...não vale lembrarem-se de cortar a água assim, de manhã, a uma mulher que a única coisa que quer é tomar banho! E agora? Lavo-me com toalhitas, é? E este cabelo? Ponho gel? Dasse! Já vi que o dia promete! Duas segundas seguidas...só pode ser para compensar o feriado!
(Isto acontece com alguma frequência, na minha zona. Cortam a água por mil motivos e nem sequer avisam, para as pessoas se prepararem...acho que vou à câmara reclamar!)

sábado, 29 de setembro de 2012

Dias torpes

Os dias cinzentos ajudam a entorpecer o que já é torpe. Passam-se as horas, os dias e a única coisa que fica é a dormência...aquela dormência que impede de enxergar mais além, para lá do cinza dos dias.
Há dias que se encavalitam noutros dias...são todos vazios...vazios do que se quer realmente, do que já vem fazendo imensa falta...

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Que anestesia!

É assim que me sinto desde ontem...anestesiada! Só tenho medo é quando a ficha cair! Mas depois, logo se vê!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

No Outono cai a folha...

Mas neste Inverno forçado, levamos com ela nas ventas e nem sequer vemos de onde veio...
(é só impressão minha, ou estamos a ser fustigados com verdadeiras tempestades???)

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Novas técnicas de engate

O Outono chegou em força...com força tal que mais parece Inverno! Ontem esteve um tempo horrível, mas, quando seguia o meu caminho para o trabalho, o sol deu um ar da sua graça! Abri os vidros do carro e até deixei a mão de fora, a sentir a brisa...demasiado fresca, diga-se de passagem! 
A certa altura reparei no carro que seguia atrás de mim! O rapaz que o conduzia fazia gestos com as mãos, sugerindo que parássemos mais à frente e mandava beijos, lambia os lábios...estava incrédula...pus os óculos para ter a certeza que não estava a delirar! Não estava!  Será esta uma nova forma de engate? Haverá gente que pára e se envolve com desconhecidos, assim, na berma da estrada? A minha mão, que pendia da janela do carro, exibia a minha bela aliança de casada! Será que ele não viu esse pequeno grande pormenor? Ou terá sido um dos motivos porque decidiu pela sua investida? Das duas uma: ou anda tudo tolo da mona ou eu já estou para lá de antiga e não percebo nada disto dos engates! Apetece-me mesmo dizer "No meu tempo não era nada disto!" ...e ainda bem!

Categoria: Estavas bem era caladinho #4

Cenário: Velório de uma familiar...
"Olá madrinha..."
"Olá, Su...ui...estás tão forte! Que se passou?"
"Olhe...tenho comido bem, graças a Deus!"
(e lá me senti eu com 80 kg...que não tenho!)

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Estranha e doce segunda

Esta segunda não tem direito a ódios...nem sequer de estimação! Esta foi uma segunda diferente...carregada de boas notícias!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Já acabou o dia?

Ainda nem acabou a manhã e já me sinto cansada de mim...hoje não consigo nem fingir um sorriso!  Estou demasiado triste para isso...

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Quando não se aguenta a pressão...

...desiste-se e culpa-se os outros! Foi a esta conclusão que eu cheguei! 
Mas, os meus ombros são largos, aguentam bem o peso da culpa! Aguentam a pressão, sem desistir! E o meu nariz também agradece a pouca resistência dos fracos, pois assim respirará ar mais fresco. 
O latão de certas pessoas deixa-me boquiaberta, confesso! E a falta de memória para o que convém, também! 
Como diz o outro: "Vai-te encher de moscas, pá!"

O recomeço: Dia #1

"Para quem me conhece já sabe com o que contar, para os alunos novos...o que posso dizer?"
R:"Sou má...ah ah ah...estava a brincar..."
J: "Pois...até nem és má de todo!"

E só porque era segunda, decidi achar que recebi o melhor dos elogios e prosseguir! 

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Efeito instantâneo!

"Aceite o horário agora na aplicação e venha assim que puder...era para começar ainda hoje de manhã...!"
Posto isto, vou trabalhar!
(só passível de acontecer às segundas...)


domingo, 16 de setembro de 2012

Sonhos em série...

Tenho andado a sonhar em série. Literalmente! O sonho de hoje é a continuação do de ontem e por aí fora. As minhas noites andam que nem novelas! Acho isto muito estranho...já vos aconteceu ou é mesmo estranheza minha?

terça-feira, 11 de setembro de 2012

O regresso

Ter um bom ambiente de trabalho é essencial. No caso dos professores, nem sempre o companheirismo é uma constante. Vivem-se tempos de competição dura, em que basicamente o colega é visto como uma ameaça, logo, um alvo a abater.
No caso da escola onde trabalho, e no meu departamento em particular, esta particularidade não se verifica...salvo raríssimas excepções. Ter um mau colega de trabalho é igual a ter um mau vizinho... desgasta-nos, temos que levar com ele, mesmo que não queiramos e acaba por ter uma influência negativa no nosso dia. Por isso, o regresso ao trabalho é sempre um bom momento. Claro que bom, bom era viver em férias todo o ano! Mas confesso que me faz falta a confusão da escola, a correria entre aulas, as histórias dos miúdos. 
Hoje foi dia de voltar e de reencontrar, na sua grande maioria, os bons colegas. Infelizmente, os maus colegas não são invisíveis...nem mudos! Contudo há que saber canalizar as más energias para longe e sorrir muito! Afinal, dizem que a felicidade é a melhor arma a usar contra quem quer o nosso mal! 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

E esta espera acabou!

Amanhã começo a trabalhar na mesma escola. O horário não é grande coisa, mas dada a conjuntura do país, de momento, quero agarrá-lo com unhas e dentes e vê-lo como se fosse completo...isto até ao final do mês. Aí cairá a ficha da realidade e lá terei eu de me fazer a vidinha! Complementar com o que aparecer. Trabalhar o dobro para receber o mesmo que um horário completo daria. Estou ansiosa! É na escola que sou feliz! 

Correcção do post anterior

E quando achas que vai ser uma segunda decente...é mesmo! ;)))))

E quando achas que vai ser uma segunda decente...

...não é! Ora bolas!

sábado, 8 de setembro de 2012

Parabéns, Bia

Faz hoje 10 anos que recebi a maior dádiva da minha vida até agora. Faz hoje 10 anos que peguei ao colo pela primeira vez a minha afilhada. Ainda me lembro dos nervos daquele início de tarde, da ansiedade de ser a primeira a subir ao quarto. Não fui a primeira...mas fui a segunda! A enfermeira disse que não podia pegar nela...tinha apenas 2 horas de vida. Os meus olhos encheram-se de lágrimas, pois daí a umas horas partia para Vila Real, para mais uma semana de estudo...e uma semana, num recém nascido, é tanto tempo! A enfermeira compreendeu a minha tristeza, virou costas e disse: "Vá...eu não estou a ver nada nos próximos 10 minutos..." Foram os melhores 10 minutos de toda a minha vida! Era tão pequenina, branquinha e perfeitinha. Perdi-me a olhar as suas mãos, os seus traços, numa tentativa de a decorar para, durante a semana, não me esquecer de nenhum pormenor...como se isso fosse possível! Levei esta missiva de ser madrinha muito a sério e, desde então, tento marcar a diferença na vida da minha princesa...já com 10 anos! O tempo voa, passa por cima de nós, atropelando-nos no quotidiano atribulado. Mas hoje, olho para trás e vejo que o tempo foi tão bom para ela. Tenho tanto orgulho de ver que se tornou numa menina responsável, estudiosa, esforçada, solidária, com um coração de ouro! É escuteira, karateca, boa aluna, mas acima de tudo uma doçura, amada por todos! E isso faz de mim a madrinha mais babada do mundo...e arredores!
Obrigada, Bia, por fazeres da madrinha uma pessoa melhor e mais feliz, desde que nasceste!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A espera

A espera é como um bichinho que vai corroendo, lentamente. Quase não se dá pelos danos, mas à medida que o tempo passa e paramos para reparar, já nos parecem irreversíveis. A espera alimenta-se do medo, da ansiedade e, a minha em particular, agrava-se com frases do género "quando menos esperares...". Quem espera o que quer que seja não espera mais hoje e menos amanhã. A vida é feita de esperas de vários tipos. A espera por uma resposta de trabalho, a espera por um telefonema, a espera por um filho, a espera por uma oportunidade, a espera por um diagnóstico...em qualquer dos casos, quando se espera ansiosamente, a tendência é aumentar e não diminuir, só culminando com uma resposta positiva ou negativa. Por isso, para os declamadores de pérolas como a supra citada, que tal guardarem esse tipo de opinião para vocês? Ou nunca esperaram por nada na vida? Ou então são seres perfeitos, dotados da capacidade de não sofrerem de ansiedade de nenhum tipo. Se assim for...parabéns! Já os outros, os comuns mortais, têm de lidar com a custosa e ansiada espera! E isso é mais do que suficiente. Não são precisas frases lindas que só resultam no Mundo Encantado das Frases Feitas. 

Não sou cartaz!

Se há coisa que me irrita sobremaneira é fazerem-me passar pelo que não sou! E não sou um cartaz publicitário! DETESTO aqueles comentários em que descaradamente as pessoas colocam o link para o seu blog, em jeito de golpe publicitário! Não sou daquelas pessoas que vive agarrada aos números. Gosto de saber que há pessoas interessadas no que escrevo... estaria a mentir se dissesse o contrário! Mas, não vivo obcecada com o número de seguidores (até porque são pouco - mas os melhores!), de tal maneira que tenho de fazer publicidade em blog alheio! Se eu quisesse publicitar o que quer que fosse no meu blog seria por minha opção! Por isso, a quem tenta fazer isto no meu blog, peço para que pare, pois perco a paciência com facilidade... pode ser? 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

E agora que o dia está quase a acabar...

...dou por mim a pensar "será que ainda é segunda feira e ninguém me avisou?" 
Esta é a única explicação plausível para o dia de m**** que tive...senão vejam:
1º Passei boa parte da minha tarde a fazer um bolo, que depois, ao desenformar, deixei cair ao chão e se despedaçou, transformando o chão da minha cozinha num amontoado de papa de chocolate! 
2º Estou há uma semana a fazer de doggysitter, do cão do meu vizinho. Fui levá-lo a passear, pela noitinha. Pisei uma bela de uma bosta, que um qualquer dono não apanhou do chão, talvez por pensar que lugar de merda é no passeio...
3º Depois de lavar a sapatilha, já meia atordoada com o cheiro, dou a bela da refeição ao cão que decide dar-me em troca uma bela de uma cabeçada. Ah...o cão é um doberman...tenho o sobrolho  a latejar desde então! 
O dia já acabou???

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Decisões por impulso

Quando se toma decisões, nem sempre se pensa nas consequências. Ou melhor...nem sempre se avalia bem todas as consequências! Pensamos que somos muito fortes, muito corajosos, capazes de suportar tudo e mais alguma coisa. Quando as consequências nos batem de frente, cai-nos a ficha, como se costuma dizer... e aí, tudo muda de figura! Já não se tem tantas certezas e, na iminência da concretização da nossa decisão não nos cabe um feijãozinho no cu dito cujo! E agora? Como se descalça esta bota? Fácil...não se chega a calçar! Viver e aprender, meus amigos! Eu aprendi a minha lição!







segunda-feira, 27 de agosto de 2012

As "gordinhas" e a Margarida....

Nunca gostei nada de Margarida Rebelo Pinto. Li um livro dela, porque me disseram que era muito bom (WTF?????)... Nesta tentativa dolorosa de tentar ver o ponto de vista da amiga que recomendou o livro, percebi que esta senhora (sim, que já tem idade para ter juízo, apesar de lá no fundo achar que é uma adolescente!) escreve para satisfazer o seu ego. A personagem principal desta história era ela mesma...fui pesquisar outras histórias dela e percebi que TODAS as suas personagens femininas são escritas à sua imagem e semelhança.
Daí a pensar que algum dia, um jornal iria permitir a publicação de tamanha verborreia...são outros quinhentos paus!
Depois de ler esta pérola, digna de estar assinada por esta senhora, surgem-me algumas explicações:
1- Ou a mulher é parva!
2- Ou a mulher é preconceituosa!
3- Ou a mulher consumiu demasiada coca...ficou sem o resto dos neurónios que ainda existiam no espaço amplo, que era a sua cabeça!
4- Ou ao longo da sua triste vida, sofreu de graves disturbios alimentares, tornando-se numa anoréctica crónica, que compensa a falta de comida com excesso de sexo, tentando "comer" todo e qualquer macho! Foi com toda a certeza TROCADA por uma mulher bem mais apetecível. Ora nós mulheres sabemos que o despeito nos leva aos maiores desaforos e insultos...Esta foi a lamentável forma que arranjou de se vingar!
5- Ou as quatro coisas...
De uma coisa eu tenho a certeza! Não devia ser permitido escrever merda nos jornais...mesmo quando as crónicas são de opinião! É que de opiniões de merda está o mundo cheio...não é preciso haver registo, para a posteridade! (desculpem a palavra merda, mas como eu estou assim para o "gordinha" tudo me é permitido...por isso eu posso, tá?!)

...e pouco barulho!


quinta-feira, 23 de agosto de 2012

You say "eipple", I say "ápple"...




Talvez por ser professora de Inglês me irrite sobremaneira ouvir dizer "eipple".  Mais me irrita quando é um jornalista, que até faz uma reportagem inteirinha de 1 hora de duração, dizer " Steve Jobs escolheu a maça mordida como imagem de marca para não se confundir com o tomate. E assim começou a eipple. Blá, blá blá...eipple...blá blá blá... eipple..."  Diz-se "ápple", minha boa gente "ÁPPLE"! O "a" é aberto! Fico tola com isto! Até os meus alunos do 1º ano sabem dizer isto bem...

Santa incoerência!

Incoerência...coisa linda e abundante!
Se somos seres imperfeitos, se todos temos defeitos, se fomos programados para falhar, aprender e fazer melhor...porque raio ainda há quem se julgue perfeito e se "venda" como produto de única categoria, uma qualquer raridade, carregada de virtudes, onde nada, mas nada falha? Isto tudo na teoria, como é óbvio...porque tal qual os restantes mortais, o que hoje é, amanhã pode já não ser. Declarar assim, com tanta veemência, que não se fará nunca isto ou aquilo é meio caminho andado para o "amanhã" esbarrar consigo de frente e lhe provar que "nunca" é demasiado tempo. 
Somos feitos de mudança! Logo, alguns dos nossos ideais também podem estar sujeitos a essa mesma mudança. 
Somos feitos de tudo o que nos vai acontecendo na vida! Logo, é mais do que normal mudarmos a nossa percepção em relação a muitos assuntos.
Somos feitos de milhares de experiências. Logo, estas experiências, positivas ou negativas, podem mudar quem outrora fomos para quem somos ou queremos ser.



quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Esse tal de respeito...

...é real e verdadeiro! Muitos falam dele, enchem a boca com ele, tecem teorias sobre ele...mas na realidade vêem-no como um mito. Esse tal de respeito está em desuso, por se crer que não existe, por se considerar demodé, por ser difícil de gerir, a par com a libertinagem, com a brutalidade que, quer se queira, quer não, é muitas vezes difícil de afastar do corpo, das palavras...Esse tal de respeito tirou férias...prolongadas...sem data de apresentação ao serviço! Licença sabática, talvez...Esse tal de respeito deixou-se dominar pelo prefixo...associou-se a ele, com Super Cola 3, transformando-se no Super Desrespeito... Esse tal de respeito faz falta e aprender a lidar com a sua falta não é tarefa para qualquer um. É um sapo demasiado gordo para se conseguir engolir...assim, a seco!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Há dias fantásticos...


...e ontem foi um deles! 
Amanhecer com beijos e surpresas...
Tomar o pequeno almoço no meu lugar favorito...
Passar a tarde a banhos, com marido e afilhada...
Pensar que ia jantar com pais e marido...
Chegar ao restaurante e ter 20 amigos à minha espera, num jantar surpresa, organizado pelo marido...

Ontem foi só mimo! Que bom sentir o carinho de quem amamos! Que bom saber que temos pessoas que gostam de nós, que se esforçam por nos fazerem sentir especiais, que tiram do seu tempo para criarem memórias...das que são boas de guardar, e que ficam para sempre! 

Nunca gostei muito de celebrar o meu aniversário...talvez ressabiamento, de quem faz anos no verão e nunca tem todos os amigos disponíveis, por motivos de férias. Ontem não me fizeram a vontade! Decidiram celebrar como devia ser! E ainda bem! Já não era sem tempo...afinal já passaram 35...


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Who f*cking cares?



Confesso que hoje fiquei meia embasbacada com a importância que deram, no telejornal, às férias do Sr Ministro... ai e tal, que veio passear pelas ruas X e tomou café na pastelaria Y! Amanhã, se calhar, vamos saber que tipo de protector usou, se tinha ou não factor suficiente para o seu tipo de pele, quantas vezes usou a casa de banho...WHO F*CKING CARES????? A única coisa que me interessa é que o meu dinheiro, enquanto contribuinte activa, é usado para protecção pessoal e férias com a família de otários, como este senhor! E depois ainda temos de levar com os relatórios por imagens, em forma de notícia! Menos, minha gente! Muito menos!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Crise de criatividade


Detesto sentir o nível de criatividade em baixo, vazio, sem ideias novas...tenho uma história para terminar e por mais que me queira comprometer a acabá-la, não estou a conseguir. Faltam-me as palavras...e as que vão surgindo não me servem! Se calhar, o que falta mesmo é o humor certo...e esse, tal como as palavras, está em falta! 

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

sábado, 28 de julho de 2012

Vizinhos para troca - parte 2

Pois é...se algum dia acharam que estava a exagerar quando falava dos meus vizinhos...think again! Lembram-se disto? Vivo num bairro, onde as casas são todas juntas. Há um pequeno pátio na frente e outro maior nas traseiras. O das traseiras não tem visibilidade, de umas casas para as outras (graças a Deus!), mas o da frente tem...
Estes dias, ia sair para jantar, e deparo-me com uma visão no mínimo peculiar! Com o rabo virado para o meu pátio (da frente...virado para a rua...onde passam pessoas...), estava o neto (mais velho!!!!) da minha vizinha. Até aqui nada de peculiar...não fosse o rapazola estar com os calções para baixo, a fazer o belo do xixi, para o canteiro da avó! Isto nem a um metro da porta da entrada e a outro da rua! Nojento! Ao deparar-me com aquilo, nem sequer consegui sussurrar "Mas que grande porcaria!"...ele olhou para trás, voltou a olhar para a frente...acabou o xixi e entrou...não pela porta, que estava escancarada, mas pela janela, forçando o estore! 
Vá, tenham lá dó de mim, que vivo rodeada de Cro-Magnons...

Se...

"se eu tivesse um mundo só meu, tudo seria absurdo. nada seria o que é, porque tudo seria o que não é. e o contrário: o que é não seria e o que não é, seria. percebes?"
- Alice no País das Maravilhas :)

(como eu queria um mundo só meu...)

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Eduardo Mãos de Tesoura



Na minha adolescência vi este filme vezes sem conta...tantas, que decorei algumas partes! Foi nessa altura que me "apaixonei" pelo Johnny Depp! Ontem foi dia de rever esta história própria para fantasy freaks...

Civismo...ou a falta dele...

Quem me conhece sabe que há coisas que só me acontecem a mim...é a mais pura das verdades. Hoje, não fosse uma bela de uma segunda feira, fui até à cidade, ver os saldos e desafiar as fortes probabilidades de me acontecer algo. Não havia lugares para estacionar. Depois de muito procurar lá encontrei um lugar. Ora, este parque, sobejamente conhecido pela quantidade imensa de arrumadores e filas de carros estacionados a meio da faixa de rodagem (como se uma linha contínua se tratasse), está sempre à pinha por ser gratuito (o tanas, que o arrumador está lá!). Bem, lá ia eu, na "faixa" da esquerda, quando, através de um espaço na "linha contínua", vejo um carro a sair de um lugar, do lado direito. (Lembro que não há duas faixas...apenas uma faixa larga...separada por carros estacionados a meio). Dei o pisca, apontei o carro para lá e esperei que a senhora recuasse. De repente um carro aparece e dá pisca para estacionar. Posso ser muita coisa, mas ainda não sou transparente. Como tal avisei o senhor, cheia de bons modos: "Olhe, eu já estava aqui a dar pisca para estacionar..." . Resposta do cretino senhor: "Pois...mas eu estou deste lado!" Fiquei boquiaberta. Olhei para o carro e vi três crianças. Tive de falar, pois as palavras já me saíam pela boca fora. "Muito parabéns pelo seu civismo! Está a educar muito bem os seus filhos!" 
E como Deus não dorme, do "meu" lado lá saiu um carro e eu pude estacionar.  
A falta de civismo está em alta! Não há respeito por nada nem ninguém. Não há princípios nem valores. É a lei do mata-esfola. Quando voltei para o meu carro, sem ver saldos nenhuns (confesso que a rebaixa no civismo me deixou desorientada) reparei que o cretino senhor conduzia uma bela viatura com matrícula suiça. Ora eu, que até já estive na Suiça, sei que o civismo faz parte da cultura deste país. E estes patêgos em vez de aproveitarem o facto de estarem noutro país e aprenderem a ser melhores cidadãos, não...envergonham-me do povo tão pouco cívico que somos...

Não incomodar!


E acham que isto à segunda pega?? Claro que não...

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Desemprego é crime?

Ok...eu sei que há muita boa gente que se alambaza ao subsídio de desemprego e aproveita para fazer férias prolongadas vá-se lá saber como, já que o valor do subsídio é aquela fortuna, mas sinto-me uma verdadeira criminosa, a cumprir termo de identidade e residência, ao ter de me apresentar, quinzenalmente, na junta de freguesia! Parece que vamos fugir...e mais valia, que isto por terras de Portugal já deu o que tinha a dar...

terça-feira, 17 de julho de 2012

O (triste) estado da Educação

Que a educação em Portugal anda pelas ruas da amargura, não é novidade para ninguém...mas ter a certeza de que um professor nada é mais do que um número, sem valor absolutamente nenhum, descartável e sempre, sempre substituível é uma conclusão demasiado triste...
Passou-se do 8 para o 80 e a figura do professor passou a ser desprezada. Deixou de ter qualquer tipo de autoridade para dar lugar ao faz-tudo: educador, professor, (muitas vezes) pai e mãe, confidente, amigo, funcionário administrativo, "boneco" na mão da Administração...sem ser reconhecido pelo seu trabalho. 
Eu ainda sou contratada o que significa que não tenho direito sequer a pensar no oásis "estabilidade". Não tenho direito a férias no verão, pois são gozadas nas interrupções lectivas. Não tenho calma até ao fim de Agosto, altura em que o meu futuro (no que diz respeito aos meses seguintes) é decidido. Todos os finais de Junho passados no Centro de Emprego, a mendigar para receber a "migalha" a que tenho direito, mas que o Governo teima sempre em complicar (para depois dar tudo e mais alguma coisa a ciganos e imprestáveis, que fazem tudo menos trabalhar...). Já pensei muitas vezes em mudar de carreira...mas adoro demais o que faço para ter a coragem suficiente de lhe virar as costas. 
Ontem soube que um colega foi dispensado, porque reestruturaram as turmas. Porque turmas de 19 eram  demasiado pequenas...e o ideal é 25...ou 30...com vários níveis juntos...isto dito por alguém que nunca pôs o rabinho numa bela de uma sala de aula, mas tem o poder de decidir o triste estado em que está a educação, neste belo jardim à beira mar plantado! Não importa que a pessoa seja a mais dedicada, e não só ao nível da sua profissão (que isso para mim faz parte), mas que dê tudo de si em todos os projectos e mais alguns, que gaste do seu tempo pessoal em prol do bem dos seus alunos...nada disso importa minimamente! Nem sequer a continuidade pedagógica...nada...
E é triste concluir que por mais que façamos nunca vai ter peso algum...




segunda-feira, 16 de julho de 2012

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Ai, que nervos!

Se há coisa capaz de me tirar do sério é a falta de responsabilidade, o desresponsabilizar-se só porque sim! Mas, pior ainda, é esta minha mania incrivelmente estúpida de querer remendar o que não tem qualquer tipo de emenda...é que no final, quem se lixa é sempre o mesmo mexilhão!

Uma questão de educação

Nos últimos dias muito se tem dito acerca da falta de educação dos nossos governantes. Eu cá, depois de analisar bem a situação, acho que o Relvas está certo (ironia ao mais alto nível!). Tenho-me deparado, onde quer que vá, com um desprezo total pela língua portuguesa. Parece que, de repente, se deixou de saber escrever! E não me venham para aqui com tretas de que é da falta de hábito, esquecimento ou o diabo a quatro. Para mim, saber escrever é uma dádiva tão grande...devia ser tratada como tal até ao fim da vida e não desprezá-la assim que se deixa de ir à escola! É triste ver erros tão básicos! Assim sendo, vou dar umas dicas, se assim me permitirem: por exemplo "Voçes" - o c ao lado do e e do i já tem som de ss, por isso não tem cedilha. "Heis" -  este nem sei onde o foram inventar, pois o h não faz lá nada a não ser um tremendo erro. "Falas-te" - erro mais que comum...e que basta colocar um "não" antes da palavra para ter a certeza se há erro ou não. Se ela sofrer alteração, leva hífen...se não, não leva - "levaste o lixo?" ou "levas-te o lixo?" (negativa - "Não levaste o lixo." Não sofre alteração, logo a palavra não tem hífen. "Lembras-te de mim?" ou "lembraste de mim?" - (negativa -  "Não te lembras de mim?"  Verifica-se uma separação na negativa, logo a palavra tem hífen.) Aprendi isto na primária e nunca mais me esqueci. Sei que a minha profissão me aguça a veia correctora, mas aparte disso, penso que deveria ser um orgulho para todos sem excepção, saber escrever correctamente! Estarei certa ou errada?

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Assim está melhor, Parfois...

Hoje fui deixar as minhas sandálias e falar com o boss...diz-me ele:
"Bem, menina...deixe-as ficar que eu mando arranjar! Mas vai ser à minha custa, que a Parfois não assume este tipo de reclamações. O prejuízo vai ser meu..."
" E queria o quê? Que fosse meu?"

terça-feira, 10 de julho de 2012

Mau, mau, Parfois!

Na semana passada, num desses dias que mais valia ter ficado em casa, fui à Parfois e saí de lá com umas lindas sandalinhas, que até serviram para me animar, já que me contento com pouco! Ora até aqui, tudo bem! 
Hoje, com as ditas sandálias nos pés, e bem a meio de um café com uma amiga, reparo que as malditas se estão a desfazer! Verdade! Nem uma semana, portanto! De imediato fui à loja queixar-me do sucedido...ambas as solas a desfazer ao fim de nem uma semana é obra! E nem andei com elas todos os dias...
"Ah menina, por acaso a Parfois não aceita reclamações nem de calçado, nem de bijuteria!"
"Ai não? Então aceita reclamações de quê?"
"Das malas..."
"Pois...mas vai aceitar das sandálias...mais não seja por escrito! Amanhã passo cá...e só porque não quero ir descalça embora!"

Não aceitam reclamações? A ver se não aceitam...

quinta-feira, 5 de julho de 2012

A força das palavras (parte II)

Correndo o risco de me repetir, acho que as palavras (bem como os actos) têm uma força incrível! São capazes das maiores tempestades emocionais...podem elevar-nos ao nosso auge, mas também conseguem nos arrasar por completo! Gostava de ter a capacidade de ignorar algumas dessas palavras...e actos...para poder viver mais feliz! Contudo, fazemos sempre conjecturas...e grande parte das vezes elas saem-nos furadas! E lá vamos nós, uma vez mais, encontrar apoio no chão, que nos recebe, fazer força (vinda sabe Deus de que parte) e erguer novamente a cabeça e sorrir...mesmo com o coração despedaçado...

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Um ano...

Faz hoje um ano que partiste...tantos dias sem te ouvir, sem te ver ou te sentir! Tantos dias a poder unicamente pensar em ti e na falta que me fazes. O teu relógio continua pousado na minha prateleira, para me lembrar das horas, que passam a voar...ao lado, a caixinha de beijinhos que te ofereci num Natal. Será que usaste algum? Estarão a fazer-te falta? Queria tanto dar-te um e dizer-te que te amo...

segunda-feira, 2 de julho de 2012

...e viveram felizes para sempre!

Julho não podia ter começado da melhor maneira! 
O dia 1 foi o escolhido para a celebração da mais bela história de amor que conheço! Foi um dia cheio de momentos inesquecíveis, carregados de um carinho ímpar! 
Um verdadeiro conto de fadas, que começa agora o seu "..e viveram felizes para sempre!"
(porque ainda há pessoas que foram inquestionavelmente feitas uma para a outra)

Ódio em duas frentes

É um sentimento recíproco... 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Beleza a quanto obrigas!




Demanda do dia: encontrar um vestido que servisse e ficasse bem. Confesso que não foi fácil experimentar tanta roupa com este calor. Mas lá se conseguiu o que parecia impossível! Por vezes invejo os homens...têm a vida muito facilitada! O meu arrumou o assunto "roupa para o casamento" em 10 minutos! Ora bolas!



terça-feira, 26 de junho de 2012

Reclamações que valem a pena...

Ainda há dias estava para aqui a queixar-me das temperaturas pouco próprias do verão...hoje estou para aqui a desfalecer com o calor que, de repente, se faz sentir! Está visto! Tenho de reclamar mais vezes...

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Não fosse hoje segunda, é que eu estranhava...

E 3 horas à espera de um exame e uma reclamação por escrito mais tarde...eis que me cai a ficha: HOJE É SEGUNDA!
Como se não bastasse, hoje é o dia do início da dieta da sopa...Oh bida!